Um é experiente e já exibe uma coleção de times em seu currículo. O outro dá os primeiros passos. Em comum, a vontade de se destacar, que vem fazendo deles os destaques do Bonsucesso em sua campanha na Série B do Rio. Hoje, liderado por Leandro Motta e Marco Túlio, o time do subúrbio pode garantir sua vaga na final do primeiro turno contra a Cabofriense. Basta vencer ou empatar com a Portuguesa, às 16h, em Moça Bonita.

O veterano Marco Túlio, 34 anos, já passou pelo Maia, de Portugal, foi campeão da Série D do Brasileiro com o Guarani de Sobral-CE, e rodou por Cabofriense, Bangu e Americano. O sonho de atuar por um clube grande continua de pé e vem servindo de motor para ajudar a levar o Bonsucesso de volta à elite carioca. Atualmente, é o artilheiro do time no Estadual, com seis gols.

— Estou ansioso para disputar essa semifinal porque chegamos lá surpreendendo muita gente. O campeonato tinha muitas equipes boas e nós trabalhamos quietinhos, sem fazer alarde — disse.

Já Leandro Motta, 21 anos, usa a 10. O meia foi formado na base do Vasco, onde criou amizade com Carlos Alberto, a quem chama de padrinho, mas não chegou ao profissional. Depois, passou por Grêmio e Madureira. No Bonsucesso, usa a dez pela primeira vez na carreira.

leandromotta

— Acho que vesti bem. Quero vesti-la eternamente — sonha.

Além do desejo de mostrar valor, os dois ainda compartilham o jeito extrovertido. E com essa forma leve de encarar a vida que superam as adversidades de se jogar em um time pequeno. Durante os treinos, ouve-se sons de tiros. Ninguém se assusta mais. Já estão habituados com os tiroteios vindos da favela da Maré e do Parque União.

— Já estamos acostumados — diz Leandro, simbolizando um time com gana de vencer para sair de um cenário de balas perdidas.

2013-606299609-2013041870964.jpg_20130418

Fonte: Extra Online

Comentários